jul 17

Um nome em meio aos nomes

Apito final

Foto: Um nome em meio aos nomes


Muricy Ramalho mandou para o ataque um time que já tinha atacado o suficiente e que, ao menos na teoria, não teria outros motivos para continuar atacando. O São Paulo de Pato e Fabuloso foi, durante 90 minutos, um São Paulo muito mais eficiente com Pato no banco e Kardec com atuação fabulosa. O mesmo Kardec de Santos e Palmeiras atuando pelo São Paulo com a mesma qualidade, muito mais como um 11º jogador de uma equipe do que como um só artilheiro.

É o São Paulo dos nomes, mas o São Paulo dos nomes é mais o São Paulo de um nome que não entra em campo: Muricy, que soube dar uma cara ao time e formar uma maneira eficiente de jogar. Porque de nada adiantaria ter os nomes se não houvesse uma maneira de atuar e que essa maneira tivesse pelo menos alguma eficiência.

Houve, pelo menos durante 90 minutos, uma forma, uma maneira, um padrão. Um time que toca a bola, se posiciona, se apresenta, chama o jogo. Um time, um conjunto, um corpo.

Ah, mas era contra o Bahia, que está lá embaixo na tabela. Melhor do que se não fosse nem contra o que está lá embaixo. E outra: os três pontos estão lá. E fora de casa.

Enviar de e-mail Enviar por e-mail Ícone de comentário Comente 0 comentário

 

jul 11

Atemporal

Comentários

Foto: Atemporal


A imagem é antiga, mas recente.

Será repetida à exaustão no segundo semestre. Ou não.

Junte aí Pato, Ganso, Ceni e Kardec.

Em termos de nomes, estamos bem.

O que esperar a partir de agora??

Enviar de e-mail Enviar por e-mail Ícone de comentário Comente 0 comentário

 

jul 07

Emprestado para prestar

Contratações

Foto: Emprestado para prestar


Emprestado não é imprestável, muito pelo contrário.

Emprestado é melhor do que nem por empréstimo.

Emprestado para prestar serviços (e bons serviços), ainda que com prazo de validade, é algo que presta.

Kaká chegou e não só sabe que vai embora como sabe dizer quando isso se dará. Até lá mantém a forma, aquece, se prepara e prepara o São Paulo para tempos vindouros.

Quem sabe em viagens pelo continente?

O avião pode fazer uma escala no México enquanto segue para Orlando. Ele pode ajudar a pilotar a aeronave até lá e dizer: “Trouxe até aqui, agora é com vocês”.

É evidente que não chegou um herói, um salvador da pátria, um ser capaz de resolver sozinho o que não vem sendo resolvido há algum tempo. E nem é papel dele assumir tal condição. Mas chegou, para assumir boa parte da responsabilidade. Para passar de Pato para Ganso, para tirar um pouco da carga de Rogério Ceni e Luis Fabiano. Para dividir os méritos em caso de triunfo. Para assumir uma parcela maior da culpa em caso de fracasso.

Chegou. E está a fim de jogo. Vem emprestado para ser prestativo. Se emprestar só um pouco do talento já provocará uma boa aceleração.

E olha que com um pouco desse combustível será possível ir bem longe...

Enviar de e-mail Enviar por e-mail Ícone de comentário Comente 0 comentário

 

jun 27

Kakakardec

Contratações

Foto: Kakakardec


Kaká assina na segunda-feira com o Orlando City e será apresentado na sequência como reforço do São Paulo.

Tá, é meio complicado entender, mas faremos um esforço e vamos conseguir: ele vai jogar lá na Disney,
mas só a partir de março do ano que vem. Como não dá para ficar parado até lá, ele joga por empréstimo no
Tricolor, adquire boa forma, ritmo de jogo, ajuda o São Paulo e em março estará pronto.

Ajuda o São Paulo...é, essa é uma boa questão. Por qualidade técnica não há dúvidas: é o cara, mas já faz algum tempo que essa cara não é das mais bonitas, como dizem menininhas, meninas e marias-chuteiras em
geral. Bate uma dúvida...

Vamos aos fatos: Kaká tem 32 anos e no ano que vem completa 33. Não foi para esta Copa e não irá a mais nenhuma, a não ser que o treinador ache que aos 36 ele poderá render em um Mundial. Ele sai de um Milan que não é mais aquele Milan, mas ainda é Milan e assina com um clube dos Estados Unidos, que ainda tenta emplacar o futebol como um esporte que leve mais gente aos estádios. Por enquanto as categorias mais baixas da Nascar têm vencido por goleada em termos de público.

O fato é que ele vai montar numa grana e não tem mais grandes pretensões. É campeão do mundo por clube e Seleção, tem prêmio de melhor do mundo e passou os últimos 11 anos entre Milan e Real Madrid. Mas quer jogar e o São Paulo talvez esteja precisando de gente que queira jogar.
Imaginem um Kaká jogando um pouco do que sabe, ao lado de um Ganso tirando muito do que sabe e, lá na frente, um Alan Kardec que sabe marcar gols. Nem cito Luís Fabiano e deixo Pato de lado.
Se ele quer se ajudar, que se ajude. Mas parece que ele está a fim de ajudar o time. Muricy curtiu isso...

Enviar de e-mail Enviar por e-mail Ícone de comentário Comente 0 comentário

 

jun 10

Em outras Copas

Curiosidades

Se os joelhos não doessem mais, Muricy teria ido em 1978. Oscar Bernardi foi em 1982, junto com Valdir Peres. Müller e Careca representaram em 1986 e, arrisquemos dizer, também em 1990, ainda que indiretamente. Silas também esteve nas duas. Müller figurou de novo em 1994 e Cafu estava lá. Raí começou como capitão. Zé Carlos, mais conhecido por imitar galinha e feirante do que pelo futebol, foi titular na semifinal em 1998. Rogério Ceni era reserva em 2002...
alguma injustiça deve ter sido cometida, algum nome omitido por falha, mas o fato é que o São Paulo costumava colaborar bastante com a Seleção Brasileira. Alguns ganharam outros não, mas muitos passaram por lá. Ou haviam construído uma história recente no Morumbi ou essa mesma história estava em construção. Lembremos de 1994, quando, uma semana após o é tetra, é tetra, o Tricolor venceu o Palmeiras pela Libertadores. jogo da Libertadores num domingo. Sim, aconteceu.
Careca era do Napoli em 90, mas são-paulino em 86. Ganharia o Brasileiro no início do ano seguinte. Müller vestia o manto tricolor em 1986 e 1994. Silas em 86.
Falemos do passado, porque no presente ficou mais complicado. Poderia ser Ganso, se Ganso fosse Ganso e não achasse que está muito além de Ganso. Poderia ser Pato, se Pato não achasse que bota ovos de ouro. Não, em 2014 não rolou, não deu, não foi.
Já servimos seleções vizinhas. Darío Pereira e Lugano são exemplos, mas isso a gente contra outra hora.

Enviar de e-mail Enviar por e-mail Ícone de comentário Comente 0 comentário

 

Página 1 de 133   |  próxima »»  |   ir para a página   

início blog


Editoria

Últimos posts

Posts anteriores


Ir para o topo da página

© 2001 - 2014 A Tribuna - ( Todos os direitos reservados )

wSoMa