ver perfil     
jun 28

O estádio em Cubatão é bom negócio

Bastidores da Vila

Foto: O estádio em Cubatão é bom negócio


Meus amigos, no final do ano passado perguntei pessoalmente ao presidente Luís Álvaro sobre a intenção do clube em construir um novo estádio. Na época, ele me disse que em 2011 poderíamos ter novidades. E é o que está acontecendo.

Vimos durante as fases decisivas da Libertadores e do Paulista intermináveis discussões sobre onde o Santos deveria jogar: Vila Belmiro, Pacaembu ou Morumbi. Cada um defendia uma coisa, sempre com argumentos aceitáveis, outros nem tanto.

A verdade é que está mais do que evidente que o Santos precisa de um novo estádio. E essa ideia de Cubatão, pra mim, é uma ótima alternativa. E vou dizer o porquê.

Em primeiro lugar, acredito que ter um estádio em São Paulo seria inviável. Primeiro porque o Santos é um time que representa não só a cidade de Santos, mas todo o litoral. Na minha visão, seria algo estranho. Além disso, a cidade de São Paulo já tem outros estádios e a concepção da arena inclui a realização de shows e eventos. E a oferta de locais na Capital, pra isso, é muito grande.

Também acho que o estádio em Santos seria difícil. A valorização imobiliária na cidade é muito grande e não há terrenos com o tamanho adequado para aquilo que imagino ser o projeto do clube. Nem mesmo se pensarmos em derrubar o Portuários ou fazer alguma coisa no estádio do Jabaquara. São áreas residenciais, com enormes problemas de entorno para serem resolvidos.

E, por fim, a ideia de demolir a Vila e fazer outro estádio no lugar também não acontecerá. O entorno, novamente, é um problema.

O que o torcedor precisa entender, sem emoção, é que um estádio desse, com 50 mil lugares, precisa ter um estacionamento enorme e talvez alguns outros empreendimentos em anexo, como hotéis, restaurantes, lojas, etc. Tudo temático, voltado para o futebol. Pelo que soube também, o Santos trabalha com a ideia de criar um novo CT, talvez na mesma região do estádio. Como fazer tudo isso em Santos?

Também gostaria que o estádio e todo o complexo fosse em Santos. Mas isso, hoje, é impraticável.

***

Muito bem. Eis que surge Cubatão com alternativa. Leio argumentos pouco embasados dando conta de que a população de Cubatão não teria o hábito de frequentar o estádio, que viraria um elefante branco. Meus caros, o estádio não é para a população de Cubatão. É para o torcedor do Santos.

E o torcedor do Santos da Baixada e da Capital merece o mesmo respeito que o torcedor do Santos de Santos. Se durante quase 100 anos todo mundo sempre se deslocou até a Vila Belmiro, ninguém vai ficar mais pobre por ter de ir até uma cidade vizinha.

Aliás, esse conceito de cidade vizinha é muito interessante. A Baixada Santista é praticamente um metrópole, dividida de forma político-administrativa. Não há fronteiras. As pessoas se deslocam entre as cidades sem problemas.

E agora, com o crescimento gerado pelo pré-sal, o desenvolvimento tem se expandido. Para quem anda por toda a região como eu, não é só em Santos que há um "boom" imobiliário. São Vicente, Guarujá e Praia Grande vão pelo mesmo caminho. Moro em São Vicente e vejo antigos chalés sendo derrubados para virarem sobrados e sobrepostas, como aconteceu nos últimos anos em bairros como o Embaré, em Santos, por exemplo.

Praia Grande, 30 anos atrás, era um "fim de mundo". Vejam como o município está hoje. E Cubatão, que é a única cidade sem foco turístico da região, pode ganhar muito com o estádio do Santos.

Trata-se até de uma questão de pensamento maior. Trata-se de vislumbrar o desenvolvimento da Baixada Santista como um todo.

Para completar, o mais importante. O estádio em Cubatão ficaria numa área que facilitaria o acesso de quem vem de São Paulo e do ABC. Além de ficar próximo de toda a torcida do Santos da Baixada Santista.

É evidente que aquele pessoal que está acostumado a ir a pé até a Vila Belmiro e que chega com a bola rolando vai ficar revoltado no começo. Mas tudo é questão de hábito.

É preciso pensar no bem maior.

Sintam-se convidados a opinar sobre o assunto, sem me xingar. Essa é a minha modesta opinião. Respeitarei e publicarei todas as demais, desde que as mesmas sejam publicáveis.

***

A imagem acima foi publicada no Globoesporte.com. Segundo a legenda, a distância entre a Vila Belmiro e a possível área em Cubatão é de oito quilômetros.

***

Antes de encerrar, fiquem com a primeira parte da coletiva que Muricy Ramalho deu nesta terça-feira. Amanhã eu posto a segunda parte.

Até mais.



***

ATUALIZANDO

Logo após terminar esse post, surgiu no Twitter a informação de que o presidente Luís Álvaro esteve reunido na tarde desta terça-feira com a prefeita Márcia Rosa, de Cubatão, para discutir a construção de um novo centro de treinamento para o clube naquela cidade.

Liguei para o presidente do Santos e ele me disse que o projeto seria para a criação de um CT voltado às categorias de base e, provavelmente, também para o futebol feminino. Seria uma área em torno de 200 mil metros quadrados, com até nove campos, alojamentos para os meninos, escola e toda a infra-estrutura necessária.

Segundo Laor foi uma conversa inicial, mas que tem tudo para se concretizar.

Tomara que dê certo.

Enviar de e-mail Enviar por e-mail Ícone de comentário Comente 37 comentários

 

início blog


Editoria

Últimos posts

Posts anteriores


Ir para o topo da página

© 2001 - 2014 A Tribuna - ( Todos os direitos reservados )

wSoMa